Country
Portugal

Alberto

Full name
Alberto Gomes Fonseca Júnior
Date of birth
1956-09-22
Periodo no Benfica

1976 - 1980

    Quando o ex-júnior Alberto começou a ser utilizado pelo inglês John Mortimore, os benfiquistas ficaram apoderados de um sentimento dubitativo. Com 19 anos acabados de fazer, o defesa lateral, de origem guineense, aparecia no território de Artur, Bastos Lopes, Barros e Pietra, todos internacionais e personagens respeitados no tabuleiro da Luz. Coração e pulmão garantiram-lhe um lugar ao sol, cedo se transformando num dos ai-jesus da catedral vermelha.

Naquela segunda metade de 1977, confinou-se a um jogo da Taça de Portugal, em casa, ante o Riopele (3-0), compondo a retaguarda ao lado de Artur, Alhinho e Barros. Já no inicio do novo ano, numa tarde pardacenta de Inverno, estreou-se nas Antas, com a vitória (1-0), sobre o FC Porto, valendo o golo solitário de Chalana, no primeiro jogo para o campeonato. Em crescendo de produção, titularidade garantida, dele ficou importante préstimo na revalidação do titulo nacional (77/78).

Alberto era um puro sangue, uma força da natureza. “Pode jogar, mantendo os mesmos padrões exibicionais, dia sim, dia não; ou até dia sim, dia sim”, garantiu, por essa altura, o então seleccionador nacional, Mário Wilson, no alto da sua cátedra. Impetuoso, sólido a defender, perspicaz a atacar, o jovem africano fazia as delicias dos mais exigentes adeptos e provocava a ira nos mais sectários apoiantes de outros símbolos.

Cedo chegou à equipa nacional. Na trajectória, entretanto frustrada, para o Europeu de 80, marcou mesmo dois golos consecutivos. Na Áustria e em Lisboa, frente à Escócia. Atingiu 9 internacionalizações, numa altura em que se afirmava como melhor lateral-esquerdo da bola indígena. Ainda no Benfica, esteve na espantosa série de 56 jogos sem perder para o campeonato, registo apenas superado pelo Celtic (62), Saint-Gilloise  (60) e Milan (58), na mais que secular história do futebol europeu. Duro, reagiu com sorrisos desportivos a sucessivas catilinárias, sobretudo depois de ter partido uma perna ao já sportinguista Rui Jordão, num lance marcado pelo infortúnio.

De resto, vitima maior ele seria. A 7 de Junho de 1980, abandonou a final do Jamor, que o Benfica arrebataria ao FC Porto, com golo do brasileiro César. Perónio partido ao décimo minuto de jogo, na discussão de um lance com Frasco, cedeu o lugar a Frederico. Pior, muito pior, mergulhou num suplicio. Durante anos, já sem vinculo ao clube, tentou desesperadamente voltar à normalidade. Jogaria ainda no Belenenses, mas longe do fulgor que o havia caracterizado.

Atleta cool no consulado britânico de Mortimore, mais tarde no de Mário Wilson, para trás ficavam 4 temporadas, 123 jogos, um triunfo no Campeonato e outro na Taça de Portugal. Com 24 anos apenas, o Benfica perdeu, de forma imprevista, aquele que se arriscava a ser o melhor dos laterais-esquerdos, pelo menos até ao jubileu do Centenário.


 

Épocas no Benfica: 6 (76/81)
Jogos: 123
Golos: 1

Titulos:
1 CN e 1 TP


 

Texto: Memorial Benfica, 100 Glórias
Copiado de Ednilson

Stats

First match

SL Benfica 3 x 0 Riopele

Saturday, November 27, 1976 - 00:00

Estádio da Luz ,

SL Benfica: Bento, Pietra, Barros, Alhinho (Alberto [45m]) (Alberto [45m]), Artur Correia, Shéu, Romeu (Cavungi [73m]) (Cavungi [73m]), Toni, Vitor Baptista, Nené, Nelinho
Coach: John Mortimore
Goals: Nené (46), Nené (48), Nené (72)

Last match

SL Benfica 1 x 0 FC Porto

Saturday, June 7, 1980 - 00:00

Nacional do Jamor ,

SL Benfica: Bento, Alberto (Frederico [10m]) (Frederico [10m]), Laranjeira, António Bastos Lopes (Reinaldo [70m]) (Reinaldo [70m]), Humberto Coelho, Pietra, Toni, Shéu, Carlos Manuel, Nené, César
Coach: Mário Wilson
Goals: César (36)